Type to search

Dicas para a Prova da 2ª Fase OAB – Civil

2ª Fase Dicas de Estudo

Dicas para a Prova da 2ª Fase OAB – Civil

Dicas para a Prova da 2ª Fase OAB – Civil
 
Prezados e prezadas, olá!
O ano que vem mal começou e já é hora de preparação para a prova da OAB.
Portanto, aqui vai mais um texto sobre aquilo que mais tem caído na 2ª fase/Civil.
Lembrando que nossas análises visam à sistematização do estudo (principalmente considerando-se o curto espaço de tempo entre a prova objetiva e a dissertativa), de modo que não se pode “ignorar” as demais matérias constantes do edital.
Vamos lá!
Sempre começamos com um aviso muito importante: não adianta ficar só na lei seca!
É claro que não é o momento de estudar doutrinas densas ou ler TODAS as decisões dos Tribunais Superiores.
Mas, vale a pena pegar alguns resumos sucintos e dar uma boa conferida nas Súmulas do STJ/STF (em especial as mais recentes).
Veja que, a partir do Unificado XI, os editais passaram a prever o seguinte: “As questões da prova prático-profissional poderão ser formuladas de modo que, necessariamente, a resposta reflita a jurisprudência pacificada dos Tribunais Superiores.” (vide item 3.5.12. do último edital).
Além disso, o conteúdo programático (anexo II) traz diversos temas que extrapolam o mero conhecimento da legislação seca e isso tem impactado bastante nos últimos exames. Por exemplo:
– no Unificado XV, caiu a Súmula 130 do STJ (veja os comentários que fizemos à época aqui[1]);
– no Unificado XVII, exigiu-se conhecimento acerca da “perda de uma chance” e indicação da espécie correspondente de usucapião (veja os comentários que fizemos à época aqui[2]);
– e, no Unificado XI, tivemos questão envolvendo a Súmula 486 do STJ (veja os comentários que fizemos à época aqui[3]).
Nada muito complexo, é verdade, mas não deixa de ser um indicativo de que é necessário realizar um estudo amplo e abrangente.
Quanto aos tópicos mais pedidos, temos o seguinte.
Na parte das questões, indicamos os seguintes temas, que mais costumam cair nas provas da FGV: (i) ausência; (ii) defeitos e invalidades dos negócios jurídicos; (iii) mora; (iv) sucessões; (v) tutelas específicas do art. 461, CPC; (vi) ação de execução; (vii) recurso especial; (viii) direito do consumidor; (iv) casamento, principalmente no que diz respeito à separação consensual e divórcio; (x) juizado especial; (xi) direito de vizinhança; (x) cláusula penal; e (xi) lei de locações.
No último exame (Unificado XX), por exemplo, tivemos uma questão inteira sobre “sucessões”. Ou seja, dentro de nossas expectativas.
Quanto às peças judicias, costumamos apontar o seguinte quadro:

PEÇAS Quantas vezes já caiu
Apelação 15
Possessórias 13
AI 14
Indenizatória 12
Cautelares em geral 12
Monitória 5
Execução 3
Contestação 4
Revisional de aluguel 3
Embargos de terceiro 4
Embargos à execução 2
Consignação em pagamento 3
Ação de Alimentos 2
RESP 2
Outros 23
TOTAL 117

 
E, sem dividir a matéria específica, mas levando em conta apenas o tipo de peça:

PEÇAS (sem distinguir matéria) Quantas vezes já caiu
Iniciais 78
Apelação 15
AI 14
Contestação 4
RESP 2
Outros 4
Total 117

 
(lembrando que estes quadros referentes às peças levam em conta apenas aquelas aplicadas desde o exame nº 106 da OAB/SP até a última prova unificada da FGV)
 
Apesar das sugestões, o alerta é sempre necessário: a banca é imprevisível.
A FGV começou trabalhando bastante com as iniciais até o exame XIII. Depois disso, vieram os recursos (Agravo de Instrumento no Unificado XIV; e Recurso Especial no Unificado XV), a contestação (Unificado XVI) e, novamente, voltaram com as iniciais (Unificado XVII – Ação de Consignação em Pagamento; Unificado XVIII – Embargos de terceiro).
Agora, a tendência parece apontar para os recursos, já que, nos últimos dois exames, tivemos, respectivamente, Apelação e Agravo de Instrumento.
Mas, é claro, não existe regra e todo cuidado é pouco!
É preciso ter foco e também é recomendável que haja uma sistematização dos estudos, notadamente para aqueles que têm pouco tempo.
Ah, e não se esqueçam: desde o último exame o Novo Código de Processo Civil passou a ser cobrado; assim, recomendamos especial atenção para as modificações e particularidades trazidas pelo novo diploma processual.
Boa prova a todos e todas!
Prof. Denis Skorkowski – @denisskor
Professor da 2ª fase civil do IEDI
Prof. Caio Oliveira – @Caio_Oliveira34
Professor assistente-corretor da 2ª fase civil do IEDI
Profa. Cintia Rodrigues – cintiamrodrigues@gmail.com
Professora assistente-corretora da 2ª fase civil do IEDI
 
[1] https://comopassarnaoab.com.br/2015/01/13/comentarios-a-2a-fase-civil-do-xv-exame-oab/
[2] https://comopassarnaoab.com.br/2015/09/15/comentarios-a-2o-fase-da-oabfgv-civil-xvii-exame/
[3] http://dellore.jusbrasil.com.br/noticias/343642232/comentarios-a-2a-fase-da-oab-fgv-civil-xix-exame

Tags:
Editora Foco