Category Archives: Dicas de Estudo

REVISÃO DE ÉTICA – PROF. ARTHUR TRIGUEIROS

======= Revisão de Ética =========

ADVOGADO EMPREGADO (arts. 18 a 21 do EAOAB; arts. 11 a 14 do Regulamento Geral; art. 4º do CED)

1. O adv empregado nada mais é do que um empregado regido pela CLT (art. 3º, CLT). Contudo, sua subordinação é mitigada.

Professor, o que é SUBORDINAÇÃO MITIGADA? R: Embora haja a subordinação c/ relação ao empregador, permanece isenç técn + indep profiss! Em outras palavras, ainda que empregado, não terá que cumprir ordens que retirem sua isenção técnica ou que limitem sua independ profiss!

2. O adv empreg não é obrigado a prestar serviços não contemplados no contrato de trabalho (art. 18, par. único, Estatuto).

3. Piso salarial (ou salário mínimo profissional): é fixado em sentença normativa ou acordo ou convenção coletiva de trabalho.

Pegadinha: não é a OAB que irá representar os advs empregados em questões trabalhistas, mas sim o SINDICATO/FEDERAÇÃO/CONFEDERAÇÃO de adv

4. Jornada de trabalho do adv. empregado: salvo acord/conv ou dedicação exclusiva, será de 4hs/dia e 20hs/semana. Se o adv empregado for contratado com cláusula de dedicação exclusiva, a jornada diária nao pode superar 8hs!

Professor, e se o adv empregado, sob regime de dedicação exclusiva, trabalhar mais de 8hs diárias ou 40 hs semanais? R: Hora extra!

5. Hora extra: será NÃO INFERIOR a 100% (diferente da regra geral, que é de 50%!)

6. Professor, e se o adv empregado trabalhar durante a NOITE? Tem alguma diferença? R: Tem sim! Existe a JORNADA NOTURNA, que vai das 20hs de um dia às 5hs da manhã do dia seguinte (diferente da CLT: 22h – 5h!)

Adicional noturno: quem trabalha em JORNADA NOTURNA como adv empregado ganha
ADICIONAL NOTURNO de 25% da hora normal (ñ 20% como na CLT).

7. Adv empregado e preposto (art. 3º, Reg. Geral): é proibido ao adv funcionar simultaneamente como patrono e preposto do empregador/cliente. Em suma, no mesmo processo, não pode JOÃO representar a empresa-reclamada como PREPOSTO e, ao mesmo tempo, ser o advogado da reclamada!

8. Honorários sucumbenciais e adv empregado: ele recebe honorários sucumbenciais das causas em que atuar como patrono do empregador? R: Pelo Estatuto da OAB, sim (Art. 24, §3º) – é nula a cláusula que retire o direito do adv de receber os honorários de sucumbência!

No entanto, o STF, na ADI 1194, declarou INCONSTITUCIONAL referido artigo. Assim, pra vc não errar na prova: se nada for estipulado em sentido contrário, os honorários sucumb pertencerão ao adv. Porém, se houver disposição contrária (ex: cláusula contratual), prevalece o ajuste em sentido contrário! Absurdo, né? Mas é assim q o STF entende e é assim que cai na OAB!

Espero que tenham gostado! Bons estudos e até semana que vem!

========== FIM ===================

Já Gabaritei ÉTICA

Gostou? Não perca tempo e adquira o livro JÁ GABARITEI ÉTICA do Prof. Arthur Trigueiros – Compre Agora

Cupom de Descontos – Clique Aqui

 

PREPARE-SE COM EFICIÊNCIA PARA O PRÓXIMO EXAME DE ORDEM!

PREPARE-SE COM EFICIÊNCIA PARA OS PRÓXIMOS EXAMES!

Olá!

Este post é dedicado à você que se prepara para o Exame de Ordem, seja estudante em curso superior ou mesmo bacharel se programando para os estudos.

O Exame de Ordem, ano após anos, sempre deixa um legado ácido: MEDO DA REPROVAÇÃO!

medo

Parece que aquele sentimento “aterrorizante” dos tempos de vestibular voltam à tona, e de maneira mais desesperadora ainda. Desta vez trata-se de fechar um ciclo muito importante em nossas vidas, a nossa profissão, nossa carreira… seja na advocacia ou em qualquer outra área da carreira jurídica onde se faz necessário portarmos a bendita “carteirinha”, como carinhosamente apelidam-na, distante de seu grandioso significado, que nada tem de diminutivo.

orgulho

Muito mais do que exímios articuladores e detentores de certo conhecimento jurídico, o exame exige conhecedores técnicos de “como fazer a prova”, o que comprova inúmeros casos que temos conhecimento de “nossa ele nem estudou e passou”, “nossa fulano é inteligentíssimo, foi o melhor da sala, um verdadeiro doutrinador… mas não passou”.

Sempre defendo, em nossas postagens, que não cabe ao Exame de Ordem fixar o quanto vale nosso conhecimento jurídico nas escalas decimais que nos reservam, porém, de nada adianta ficar aqui tergiversando sobre estes aspectos… independentemente se adeptos ao conformismo ou não, o jeito é conhecer a prova!

Com este intuito, diversos cursos preparatórios, professores e editoras se especializaram, ao longo de anos, nas técnicas exigidas pelo Exame de Ordem.

É óbvio que a técnica sem o conhecimento jurídico, de nada adianta. Aquela apenas é um “instrumento otimizador” na hora que está só você e a prova.

A Editora Foco e o IEDI possuem um grande arsenal de “instrumentos otimizadores” infalíveis pra você que se prepara par aos próximos Exames.

Abaixo, conheça estes instrumentos e também as datas dos próximos exames:

Editora Foco:

1- Como Passar na OAB – 1ª Fase
2- Como Passar na OAB – 2ª Fase (Todas as áreas)

IEDI:

- Curso 100% online 1ª fase
-Curso 100% online 2ª fase

Próximo Exame:

XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO
Publicação do Edital de Abertura 26/09/2014
Período de Inscrição 26/09/2014 a 09/10/2014
Prova Objetiva – 1.ª fase 09/11/2014
Prova prático-profissional – 2.ª fase 21/12/2014

Vai prestar OAB 2a fase civil dia 14/09/14?

A equipe de corretores do curso online IEDI Civil vem publicando, às vésperas do exame, algumas dicas para a hora da prova, principalmente levando em conta os erros mais cometidos pelos alunos no decorrer dos simulados.

Aqui vai novamente!

Como de praxe, o curso IEDI aplica 4 simulados que reproduzem o exato formato do exame da OAB. Cada simulado é composto por uma peça judicial e quatro perguntas.

Desta vez, obtivemos o seguinte:

- No primeiro simulado, trouxemos uma situação típica de ação indenizatória, sendo que, no caso, o fundamento era responsabilidade civil objetiva, independente da existência de culpa pelo defeito do produto.

Assim, exigia-se do candidato um conhecimento aprofundado sobre o Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) e, neste contexto, o erro principal se instaurou quanto ao polo passivo. No caso, a parte lesada pôde identificar devidamente o fabricante e o importador do produto defeituoso, de modo que o comerciante não poderia figurar como réu (art. 13, I, do CDC). Tal constatação, aliás, influenciou na competência para o ajuizamento da demanda; isto porque, a despeito da faculdade imposta pelo art. 101, I, do CDC (possibilidade de propositura no domicílio do consumidor), a ação também poderia ser intentada no domicílio do(s) réu(s).

- No segundo simulado, o aluno deveria ter elaborado um Agravo de Instrumento, propício para rebater uma decisão interlocutória de indeferimento de justiça gratuita.

O problema apresentado envolveu o indeferimento do pedido de concessão dos benefícios da justiça gratuita ao autor. Portanto, trata-se de uma decisão interlocutória que poderá ocasionar prejuízo imediato, motivo pelo qual tal decisão desafia o recurso de agravo de instrumento, devendo, pois ser justificado o cabimento de tal medida com a explicação da possibilidade de decisão proporcionar danos graves e de difícil reparação ao autor.

O erro mais usual, nessa peça, foi a interposição do recurso de agravo retido ao invés do agravo de instrumento. Deve-se observar que quando a decisão for passível de ocasionar danos graves e de difícil reparação, como no caso apresentado, deve ser interposto agravo de instrumento para combater a decisão (CPC, art. 522).

Além disso, vale destacar que alguns alunos se esqueceram de indicar os documentos obrigatórios contidos no art. 525 do CPC (informar que o recurso está sendo instruído com cópia da decisão agravada, certidão de intimação e procurações das partes) o que certamente poderia ocasionar a perda de pontos no exame.

- O terceiro simulado exigiu do aluno a elaboração de uma ação de alimentos. Aqui, a confusão maior estabeleceu-se quanto às seguintes expressões: “alimentos provisórios” (adequado para o simulado) e “alimentos provisionais”.

Lembrando que os primeiros são aqueles arbitrados liminarmente pelo juiz na ação de alimentos (processo de conhecimento), nos termos do art. 4º da Lei 5.478/68 (para ser utilizado esse procedimento especial, é necessária prova pré-constituída do parentesco, casamento ou união estável); e os segundos aqueles arbitrados em medida cautelar, preparatória ou incidental, de ação de divórcio, anulação de casamento ou de alimentos que não tramitam pelo procedimento especial (o caso mais frequente é a investigação de paternidade cumulada com alimentos). No caso, a fixação depende da comprovação dos requisitos inerentes a toda medida cautelar:fumus boni juris e o periculum in mora.

- No quarto e último simulado, trouxemos uma situação em que o magistrado de primeiro grau indeferiu liminarmente a petição inicial, sob a justificativa de que a demanda haveria de ser ajuizada no JEC.

Nesse caso, o aluno deveria interpor um recurso de apelação, destacando a possibilidade de o julgador singular exercer o juízo de retratação (art. 296, CPC). Muitos alunos esqueceram-se desta possibilidade de retratação (efeito iterativo ou regressivo do recurso) e, ainda, deixaram de trazer argumentação no sentido de que se a ação seguisse pelo procedimento dos Juizados Especiais, o autor teria que renunciar ao valor que ultrapassa o limite do teto previsto no art. 30, I, Lei 9.099/95.

Aqui, também é sempre bom lembrar que a apelação deve ser dirigida ao próprio juiz da causa, sendo que, na peça de interposição, deve-se pleitear (i) o recebimento do recurso no duplo efeito, (ii) a remessa dos autos ao Tribunal de Justiça e (iii) a intimação da parte contrária para apresentar contrarrazões – no caso proposto, esse pedido era dispensável, tendo em vista que, em se tratando de indeferimento da inicial, a citação sequer havia sido efetivada em primeiro grau. Não se pode esquecer também de demonstrar a tempestividade – principalmente quando o enunciado traz datas – bem como requerer o recolhimento do preparo.

No mais, com base no desempenho geral dos alunos (considerando-se, inclusive, as questões respondidas), pudemos observar alguns equívocos que nos remetem às seguintes dicas:

- especialmente pensando uma questão de espaço e tempo da prova, não há necessidade de se transcrever todos os artigos legais indicados na peça; apenas, se o caso, vale transcrever e grifar o dispositivo mais pertinente para o desenvolvimento da tese da peça;

- sempre se deve lembrar dos arts. 39, I, CPC (endereço para intimação do advogado) e 365, IV, CPC (declarar a autenticidade das provas juntadas);

- sempre se deve verificar se é caso de intervenção do Ministério Público na ação/recurso a ser elaborada(o) (art. 82, CPC), bem como de se tratar de preferência legal no caso de idoso ou doente grave (art. 1.211-A, CPC);

- não se deve esquecer de requerer a condenação na verba sucumbencial (custas processuais e honorários advocatícios) – lembrando que isto não se aplica para o caso de Agravo de Instrumento;

- deve-se procurar diferenciar devidamente as cautelares nominadas (principalmente arresto e sequestro);

- deve-se procurar não inventar valores para determinar o valor da causa, evidenciando-se apenas o dispositivo legal adequado para o caso (algum dos incisos do art. 259, CPC);

- não se deve ultrapassar as linhas do caderno de prova, pois só haverá correção daquilo que está dentro do espaço delimitado;

- lembre-se de consultar a lei na hora da prova, pois tudo o que precisa está lá, ressaltando-se que o índice alfabético do código pode esclarecer muitas dúvidas (e isso não é de uso proibido – a respeito do tema, vale consultar este post).

- se o enunciado não falou de prazo, não precisa justificar a tempestividade do recurso;

- não escreva “qualificação completa”, mas sim “RG Nº…, CPF Nº…, nacionalidade [...]” (principalmente os dados especificados pelo art. 282, II, CPC);

- leia com calma as questões para identificar o assunto objeto da questão;

- no caderno de respostas (da prova), há espaço reservado para colocar a resposta de cada questão, não sendo correto colocar de forma corrida (por exemplo: exercício 1, abaixo o exercício 2 na mesma folha, etc.); também cuidado para escrever a resposta no local correto e NÃO no rascunho;

A equipe de corretores do curso IEDI parabeniza, mais uma vez, os alunos pelo desempenho no curso e aguarda a aprovação de todos!

Estaremos sempre à disposição.

MUITO BOA PROVA NO DOMINGO!

  1.  Denis Skorkowski - @denisskor

Professor assistente-corretor da 2ª fase civil do IEDI

  1.  Caio Oliveira - @Caio_Oliveira34

Professor assistente-corretor da 2ª fase civil do IEDI

ROTEIRO PRÁTICO PARA A 2A FASE DO EXAME DE ORDEM

Pessoal,

Elaborei um roteiro simples, talvez um pouco extenso mas objetivo, com base no edital do Exame e também por experiência em provas do gênero (OAB/Concurso).

Espero que possa auxilia-los numa “prevenção” de possíveis e comuns erros no dia da prova ou mesmo no traçar de uma estratégia para otimizar tempo e evitar transtornos!
Boa preparação a todos, boa prova e sucesso!

homer

CUIDADOS DURANTE A PROVA

1- Cuide para não incorrer na tentação de assinar, rubricar ou identificar de qualquer forma sua peça profissional/questão. Se a peça requer ao final a assinatura, indique apenas “ADVOGADO” e não assine!! NÃO ASSINE! (Foi só pra reforçar que ficou claro! Dêem uma olhada no que diz o item 3.5.8 “3.5.8 Na elaboração dos textos da peça profissional e das respostas às questões práticas, o examinando deverá incluir todos os dados que se façam necessários, sem, contudo, produzir qualquer identificação além daquelas fornecidas e permitidas no caderno de prova. Assim, o examinando deverá escrever o nome do dado seguido de reticências (exemplo: “Município…”, “Data…”, “Advogado…”, “OAB…”, etc.). A omissão de dados que forem legalmente exigidos ou necessários para a correta solução do problema proposto acarretará em descontos na pontuação atribuída ao examinando nesta fase.”).
Qualquer indício de que o examinando tentou identificar o caderno de questões terá como consequência a anulação da prova! E não é o que queremos, certo? Importante também é não escrever além das margens da folha, os corretores podem não interpretar muito bem isso!

2- Como não é possível pedir outra folha de respostas, abuse (sem perder a noção do tempo) do rascunho (este caderno – de rascunho) poderá ser levado por você no final da prova, se obedecido o tempo mínimo de permanência em sala. Passe para a folha de respostas apenas a resposta convicta, não fique rasurando. Pode zerar sua questão

rasura

3- Capriche na letra! Não precisa ser um convite de casamento com fonte Times New Roman… mas dá uma caprichada. Letras arredondadas e que não dê muita dificuldade ao corretor. Pense bem… são muitas provas a serem corrigidas, uma letra legível e com o mínimo necessário de capricho é como um oásis para o corretor no meio de um deserto de garranchos rs. E convenhamos, vamos deixa-lo feliz em não nervoso com a letra. O conteúdo é sim o mais importante, mas a forma, neste caso é importantíssimo. Certamente será um fator a seu favor.

Protestos - Reivindicações - Médicos e seus garranchos

4- Se não sabe a questão, dê uma refletida rápida, busque no código (material permitido), mas NÃO DÊ UMA DE ENXER LINGUIÇA! Muito menos banque o espertinho e responda com ironia! Se nem no colegial “colava” imagina no exame de ordem! E pior, pode correr o risco de zerar na questão (Item 3.5.5 do edital).Não sabe? Separe a questão e brigue por ela ao final.

linguiça

 

O QUE LEVAR NO DIA DA PROVA?

No dia da prova é recomendável que se leve apenas o NECESSÁRIO!
Nada de levar Ipad, Ipod, Iqualquer coisa! É só o que você precisa! (Estou abusando da pontuação de exclamação propositalmente… !).

1- O Edital pede pra chegar com 1 hora de antecedência. Se você mora em cidades onde o trânsito é caótico, chegue 1 hora e meia antes. Não custa prevenir. Não precisa chegar as 8h, a prova será apenas as 14h. Evite a espera excessiva (só vai aumentar o stress e nervosismo), mas também não queira fazer a prova na adrenalina e chegar junto com o porteiro (que está indo fechar o portão).

2- Leve Caneta Esferográfica (Azul ou preta) em material transparente (a famosa BIC é fantástica), Documento com Foto (Não vale carteirinha do clube e nem xerox… documento com foto, original e recente pra não ter dor de cabeça. Os RGs com de 4 anos de idade, vamos evitar… “pelamor” né? Se quiser tirar dúvida sobre os documentos, consulte o item 3.6.6 do edital, ele cita exemplos.)

rg

3- Abaixo reproduzi o que consta no Edital sobre o que é considerado permitido como material de consulta…

4- Não precisa levar uma cesta de piquenique! Nem mesmo um sanduíche de mortadela com queijo gorgonzola e um suco de maracujá que faz 2 semanas está “engarrafado” (que infestará todo o prédio!), mas é bom levar alguma coisa. Prefira algo que lhe dará apenas uma sensação de “NÃO VOU MORRER DE FOME”, uma barrinha de cereal, balas, e uma garrafinha de água (Não precisa ser um galão, comporte-se).

hmmm

5- No dia da prova, quando os examinandos já estiverem sentados em seus lugares, um fiscal da FGV passará recolhendo as impressões digitais dos candidatos (Polegar Direito, ou outro dedo na impossibilidade daquele) que serão colhidas na própria folha de respostas. Não se assuste, você AINDA (RS) não está sendo fichado, é apenas uma segurança a mais para a prova. E gente, não precisa ir com o dedo pintado, haverá um fiscal realizando a coleta e depois um lenço para limpar o dedo. Fique tranquilo.

6- Lembra no colegial, que na prova de Geografia você levava uma calculadora e dizia ao professor que você faria algumas contas pra descrever o relevo brasileiro? Pois é, na 2ª. fase, se você fizer isso terá sua prova anulada! Nada de eletrônicos com você na hora da prova. O único aparelho que é aconselhável levar no dia da prova (mas ficará lacrado em saco plástico, e desligado, no momento da prova) é o celular. E… nada de cola né pessoal!

cola

NÃO LEVE PARA O DIA DA PROVA… ESQUEÇA EM CASA:

Bipe, telefone celular (Só se for essencial, mas como disse, desligue, tire o chip, bateria… o que for preciso e orientado pelo fiscal de sala! E claro, ficará lacrado, como disse acima), walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, telefone celular, máquina fotográfica, protetor auricular, controle de alarme de carro etc., bem como relógio de qualquer espécie, óculos escuros ou quaisquer acessórios de chapelaria, como: chapéu, boné, gorro etc., e ainda lápis, lapiseira, borracha e/ou corretivo de qualquer espécie.

No caso do celular, ou qualquer outro objeto PROIBIDO, será fornecida uma sacola plástica com lacre, onde o objeto deverá ficar durante a prova.

MATERIAL/PROCEDIMENTOS PERMITIDOS

pode!!!!

• Legislação não comentada, não anotada e não comparada.

• Códigos, inclusive os organizados que não possuam remissão doutrinária, jurisprudência, informativos dos tribunais ou quaisquer comentários, anotações ou comparações.

CONHEÇA A OBRA MAIS COMPLETA DO MERCADO!!! 

 

• Leis de Introdução dos Códigos.

• Instruções Normativas.

• Índice remissivo. • Exposição de Motivos.

• Súmulas.

• Enunciados.

• Orientações Jurisprudenciais.

• Regimento Interno.

• Resoluções dos Tribunais.

• Simples utilização de marca texto, traço ou simples remissão a artigos ou a lei. • Separação de códigos por cores, marcador de página, post-it com remissão apenas a artigo ou a lei, clipes ou similares.

Observação: As remissões a artigo ou lei são permitidas apenas para referenciar assuntos isolados. Quando for verificado pelo fiscal advogado que o examinando se utilizou de tal expediente com o intuito de burlar as regras de consulta previstas neste edital, articulando a estrutura de uma peça jurídica, o material será recolhido, sem prejuízo das demais sanções cabíveis ao examinando.

Exemplos fornecidos pela organizadora e procedimentos e marcações PERMITIDAS:

 

PERMITIDO

 

MATERIAL/PROCEDIMENTOS PROIBIDOS

nao

• Códigos comentados, anotados ou comparados.

• Jurisprudências.

• Anotações pessoais, manuscritas, impressas ou transcrições.

• Cópias reprográficas (xerox).

• Impressos da Internet.

• Informativos de Tribunais.

• Livros de Doutrina, revistas, apostilas, calendários e anotações.

• Dicionários ou qualquer outro material de consulta. Legislação comentada, anotada ou comparada.
Súmulas, Enunciados e Orientações Jurisprudenciais comentadas, anotadas ou comparadas.

Exemplos fornecidos pela organizadora de procedimentos e marcações PROIBIDAS:

 

PROIBIDO
“Os examinandos deverão comparecer no dia de realização da prova prático-profissional já com os textos de consulta com as partes não permitidas devidamente isoladas por grampo ou fita adesiva, de modo a impedir sua utilização, sob pena de não poder consultá-los. O examinando que, durante a aplicação das provas, estiver portando e/ou utilizando material proibido, ou se utilizar de qualquer expediente que vise burlar as regras deste edital, especialmente as concernentes aos materiais de consulta, terá suas provas anuladas e será automaticamente eliminado do Exame.”

Espero ter ajudado em algumas dúvidas que sempre existem.
Aos alunos do IEDI, saibam que todas as aulas foram pensadas, estudadas e preparadas com muito carinho e total atenção no perfil da prova que farão.

Estejam confiantes, estão preparados para o desafio!

A “vermelhinha já é de vocês!”
Muita paz, tranquilidade e pensamento positivo… chegaram até aqui porque merecem!
Sucesso Sempre!

Savio Chalita

frases-para-curtir-no-facebook (1)

CURSO INTENSIVO ÀS VÉSPERAS DO EXAME: FAÇO OU NÃO??? CONHEÇA O MELHOR!

INTENSIVO

Amigos,

Muitos e-mails sempre são recebidos questionando sobre os Cursos intensivos (de apenas um dia, com duração de 8 horas), se é ou não válido para um bom rendimento no dia da prova.

Temos hoje muitos cursos preparatórios que se dedicam tanto aos concursos públicos quanto ao exame de ordem. Professores cada vez mais preparados e especializados nas provas e exames.

Além dos cursos anuais, semestrais e de curto prazo (de dois a um mês) também temos no mercado de cursos e concursos os preparatórios “SUPER INTENSIVOS”, que são os de apenas um dia, normalmente às vésperas do exame de ordem.

Acredito muito na funcionalidade e eficiência destes cursos, vez que muitos pontos importantes são levantados nesse dia. Ilusório dizer que os professores “darão as questões” NÃO! Mas sim, pontos que costumam ser abordados em edições anteriores do exame, são debatidos e explorado das formas como já foram “questionados”. Isso ajuda muito no momento de leitura das questões, onde o examinando consegue enxergar e se prevenir de algumas pegadinhas!

Mas, tudo isso, é válido para quem se preparou ao longo dos meses para o exame que pretende. Quem não se dedica e quer aprender tudo em um único dia… sinto muito, mas a melhor opção é organizar um cronograma e se prepara para o próximo exame.

Esses “Super Intensivos” (nome fictício que expressa os intensivos de um dia), são extremamente válidos como uma última revisão, relembrando assuntos, retomando pontos e alertando para principais abordagagens e possíveis “pegadinhas”.
Se não for essa a motivação para participar deste tipo de evento, não reputo válido tanto o investimento quanto a falsa esperança de que um dia de estudo será suficiente.

E os Simulados? É preciso ter cuidado. Normalmente os simulados são elaborados com questões mais difíceis, até mesmo para que o examinando possa sentir mais à vontade no momento em que se deparar com o exame. O cuidado a se tomar no sentido de não permitir que a dificuldade encontrada nos simulados seja determinação de desânimo. Tenham a consciência de que as questões são selecionadas e propositalmente mais complexas do que as que serão apresentadas no dia da prova! Mas é claro, quando diante de assuntos que reputar importantes… não custa fazer uma mini revisão para deixar a consciência tranquila!

Quanto “que curso escolho”… tenho a melhor resposta!

MEGAREVISÃO 1ª FASE OAB!

Um super intensivo abrangendo todas as 18 matérias do Exame. Os melhores e mais conceituados professores do Mercado!
Conheça abaixo as especificações do curso e adquira já em nosso site!

 

 

 

Revisão Esquemática da Teoria + Resolução de Questões

Assista a uma Aula demonstrativa: CLIQUE AQUI
Coordenação: Prof. Wander Garcia

Carga horária: 53 vídeoaulas, com duração média de 30 minutos, contendo as 18 disciplinas do Exame de Ordem, inclusive com as novas disciplinas Hermenêutica e Ética na Filosofia do Direito

Início: a qualquer tempo

Acesso: por 02 meses (60 dias), limitado a 05 acessos por aula

Indicação: perfeito para os últimos dias antes do Exame

Demais especificações:

Administrativo Prof. Wander Garcia 3 aulas
Ambiental Prof. Wander Garcia 2 aulas
Civil Prof. Wander Garcia 4 aulas
Constitucional Profa. Bruna Vieira 4 aulas
Consumidor Prof. Wander Garcia 2 aulas
Criança e Adolescente Profa. Leila Sponton 2 aulas
Empresarial Prof. Henrique Subi 3 aulas
Ética Prof. Arthur Trigueiros 4 aulas
Ética na Filosofia Prof. Renan Flumian 2 aulas
Hermenêutica Prof. Renan Flumian 2 aulas
Humanos Prof. Renan Flumian 2 aulas
Internacional Prof. Renan Flumian 2 aulas
Penal Profs. Arthur Trigueiros 4 aulas
Processo Civil Prof. Luiz Dellore 4 aulas
Processo do Trabalho Prof. Hermes Cramacon 3 aulas
Processo Penal Profa. Karem Ferreira 4 aulas
Trabalho Prof. Hermes Cramacon 3 aulas
Tributário Prof. Robinson Barreirinhas 3 aulas

Aluno IEDI tem direito a desconto de 30% em qualquer obra da Editora Foco!

Cupom de Desconto: saviodesconto

Bons estudos!
Estamos juntos na preparação!!!